Maria Antonieta Preto | Ressurreição da Água


1- O que representa, no contexto da sua obra, o livro a Ressurreição da Água?
R- Interrogar tudo e sempre. Interrogar o princípio, o meio e o fim, sem fim. Perguntar: que homem é este, de nome Antonásio, que pede feliz ao filho que o carregue vivo às costas para a morte? Como se pode morrer vivo e desejar morrer vivo? Perguntar: quem é Aniéfora? Porque ressuscitam os mortos? E como? Que lugares do mundo deixam tudo de imortal? Que lugares nada deixam? Perguntar: como é possível que numa terra em que a água escasseia haja uma menina que tenha fartura dela na sua casa? Como consegue a menina essa proeza? Perguntar: O que leva, há milhares de anos, uma família de humanos a viver juntamente com corvos? Perguntar: Porque é que, mesmo antes de nascer uma determinada criança, as suas características físicas e estranhas já foram delineadas na mente dos humanos, num lugar do mundo onde ainda não se inventou a ecografia? Perguntar: Porque é que um homem faz renda em vez da sua mulher? Porque é que cada porta e cada janela revelam as características de quem vive no interior de uma casa? Perguntar: Que casa é aquela em que Rizá vive obcecada, há muitos anos, anos com as molduras de fotografias numa parede? O que podem ditar as molduras de fotografias? Porque há um piano que toca sozinho? Porque se escreve “ chegar à luz oculta?”. Perguntar: quem é Liortina? Que significado tem uma defunta deitada de bruços num esquife? Perguntar: quem é Noalma? Será uma personagem mágica ou real? Se for real, é possível que exista alguém assim? Houve mesmo um anjo que a salvou ou estamos no campo da pura ficção? Perguntar: O que é a língua das rosas? O que é a língua nómada? Perguntar: Porque é que Fastiona morreu sentada numa cadeira com a boca cosida com linhas de alinhavar? Porque há linhas fortes e grosseiras que escurecem os escassos panos brilhantes do universo? Porque é que a estrela de Salomão tem de ter 5 pontas? Porque é que Solília se deita entre lenços bordados para morrer? O que pretende encontrar ela nessa morte? Perguntar: O que representa a Ressurreição da Água no mundo? Qual a importância de uns moitanitos de sal? É realidade ou ficção a história deste conto? Perguntar tudo: que nomes são estes, o que querem eles dizer, onde querem eles chegar, que energias contêm estes e tantos outros, como Vidánia, Malaia, Jóti, Mefa, Pliónica, Eulípio, Malácida, Amistim, Ágara, Tâmara, Azenia, Pertólio. Perguntar tudo: Que críticas subtis? Que entrega? Que mistérios por revelar? Que subterrâneos foram escavados? Que mundo é este onde os homens abraçam a Natureza e vivem de mão dada? Chegaremos, através destes livro, aos lugares mais profundos da memória e do homem? Encontraremos um mundo mágico composto por vibrações energéticas e realidades até agora deliberadamente desconhecidas? Que seres desejarão entrar nestas formas de vida sem de lá querer sair?

2- Qual a ideia que esteve na origem do livro?
R- Falar sobre as grandes questões, que são os grandes problemas do mundo: ecologia, pobreza, violência, liberdade, morte, amor, identidade, respeito pela língua de todos os povos. Falar sobre a harmonia urgente entre o homem, os animais e toda a vida natural. Revelar a vida na dor, muita dela abafada. Revelar a vida na felicidade, que depende apenas de coisas simples e do respeito que o homem deve ter para com a Natureza. Revelar a estranheza do mundo. Revelar a vida nas trevas. A vida no estado oculto. Pegar na vida, observá-la fundo e mostrar o que nela há de poesia, magia, sonho, pesadelo, encantamento e de grande mistério.

3- O que está a escrever neste momento?
R- Um segredo.
__________
Maria Antonieta Preto
Ressureição da Água
QuidNovi, 12,90€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.