Maria Isabel Barreno | Vozes do Vento


1 - O que representa, no contexto da sua obra, o livro "Vozes do Vento"?
R- As "Vozes do Vento" vêm terminar uma história iniciada com "O Senhor das Ilhas". Quinze anos se passaram desde então. Por circunstâncias várias, o projecto foi interrompido e adiado. Cheguei a pensar que este livro não queria ser escrito. Na escrita há destes mistérios. Há projectos que morrem e outros que persistem contra todas as adversidades.

2- Qual a ideia que esteve na origem do livro?
R- Trata-se da narração da história de uma família, desde a fortuna e os êxitos de Manuel António Martins - "O Senhor das Ilhas" - que no final do século XVIII foi para Cabo Verde, até à decadência e ao esquecimento, nas gerações seguintes. Estas gerações, dispersas e anónimas, são "As Vozes do Vento". Uma história que espelha as vicissitudes e o destino do chamado "império colonial português".

3- Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R- Talvez um romance, talvez contos. Ainda é cedo para saber. Terminado um livro, fica-se num mar de ideias. Ideias soltas, que vagueiam. Terei que esperar para ver quais se afirmam, e também a sua consistência e extensão. Às vezes há pequenas ideias que acabam por conter romances inteiros.
__________
Maria Isabel Barreno
Vozes do Vento
Sextante Editora, 16€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.