Diga não ao cruel comércio da morte.

1922-2010: Obrigado, José Saramago!

«A literatura não serve para mudar o mundo. Eu não invento nada. Limito-me a levantar a pedra e a mostrar o que está debaixo.»