Luís Ferreira | O Pinhal

1- O que representa, no contexto da sua obra, o livro «O Pinhal»?
R- Depois de ter escrito e publicado dois livros de contos e uma novela, decidi aventurar-me na escrita de um romance. Apesar da intriga e da vivência das personagens ser substancialmente diferente e mais complexa, ao ler todos os meus livros até agora editados, o leitor concluirá que existe alguma relação, a questão do espaço físico - ruralidade, a conflitualidade entre as personagens, as personagens que ultrapassam barreiras muitas vezes intransponíveis, etc. Portanto, este livro é diferente dos anteriores, mas poder-se-á encontrar alguns elos de ligação entre eles.

2- Qual a ideia que esteve na origem do livro?
R- As dificuldades de quem é pobre e vive no campo, no meio de um pinhal, mas pretende alcançar uma vida mais digna e uma felicidade a que julga ter direito. Na segunda metade do século XX, em Portugal, sobretudo nas zonas rurais, havia muitas famílias que trabalhavam e faziam enormes sacrifícios para poderem alcançar uma vida melhor, muitas vezes conseguiam, apesar dos conflitos, discórdias e do sofrimento que isso muitas vezes gerava. Tive ainda a ideia de escrever um livro que mostrasse à juventude dos dias de hoje, sobretudo àquela que vive nos centros urbanos, como era a vida em Portugal há umas décadas atrás, sobretudo nas zonas rurais, de onde quase todos nós temos raízes familiares. Além da intriga principal, ao longo das duzentas e sessenta e cinco páginas do romance, encontram-se algumas referências históricas e culturais de Portugal, desde os anos quarenta, cinquenta, até quase à actualidade.

3-Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R-Já conclui mais um romance que fala da luta entre dois políticos na disputa pela soberania de um pequeno território. Agora estou a começar a escrever uma pequena e simples novela, que eu classifico como sendo a mais bela e inesperada história de amor entre um homem e uma mulher solteiros e com trinta e tal anos cada um.
__________
Luís Ferreira
O Pinhal
Papiro Editora

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.