Diga não ao cruel comércio da morte.

Um bom ladrão

Robert Finn volta ao contacto com os leitores portugueses agora através da edição da obra que antecedeu os já publicados “O Perito” e “Ex-Machina”.
Neste primeiro livro o autor aborda já o filão tão em moda do sobrenatural, que exploraria de maneira mais evidente nas obras subsequentes.
Para quem aprecia enredos que giram à volta da luta desigual entre o homem comum e seres com poderes extra-sensoriais que, pela força da mente, conseguem dominar física e psicologicamente os outros, “Submundo” tem os ingredientes necessários para proporcionar umas horas de leitura agradável ao longo de quase centena e meia de páginas. Dentro do género, o livro tem uma trama bem urdida, intensa, com algumas boas soluções.
Mas mais do que o confronto entre a normalidade e os poderes sobre-humanos, o interesse principal do “thriller” é o conflito íntimo da personagem principal, um simples carteirista que face a uma situação limite quer finalmente ser o que classificamos como uma “boa pessoa” e ajudar uma rapariga praticamente desconhecida.
Uma forma diferente de confronto entre o bem e o mal, o que nos tempos que correm é já uma boa recomendação de leitura.
______________
Robert Finn
Submundo
Publicações Europa-América, 11,90€