Primeiro amigo, primeiro amor, últimas palavras

“À procura de Alaska” marca a estreia de John Green para os leitores portugueses. No entanto, o facto de só agora chegar a Portugal não é razão para subestimar o talentoso Green, que é já autor de vários bestsellers do The New York Times. Recebeu o Michael L. Printz Award e o Edgar Award e foi duas vezes finalista do L.A. Times Book Prize. A Asa já tem programada a edição do mais recente livro de John Green, “The Fault in our Stars”.
Miles Halter não é um rapaz popular nem tem muitos amigos, mas adora biografias e conhece as famosas “últimas palavras” de muitas personalidades históricas. Farto de viver sobre o permanente aconchego dos pais, decide ir para um colégio interno – Culver Creek Preparatory School, no Alabama –, onde procura “A Grande Incógnita”.
É em Culver Creek que Miles, conhecido então por Badocha, vê a sua vida mudar: encontra o primeiro amigo – no seu colega de quarto Chip, conhecido como o General –, e o primeiro amor – na maravilhosa e perturbada Alaska.
É Miles que nos relata a sua aventura e a busca pela "Grande Incógnita" e fá-lo de uma maneira amorosa e cativante, sempre acompanhado do seu humor autodepreciativo: partilhamos com ele as suas frustrações, a sua alegria e o crescimento das suas amizades e do seu amor por Alaska. Contudo, a vida não é perfeita e mais cedo do que qualquer um gostaria Miles vê-se deparado com um acontecimento que lhe muda a vida.
John Green imprime na perfeição o valor e a dor de viver e amar de modo incondicional, naquele que é um livro extraordinário e altamente recomendável. Este é um daqueles livros que quando começamos não conseguimos parar de ler e que quando chegamos ao fim damos por nós a pensar sobre a sua história e as suas personagens várias vezes ao dia.
“À procura de Alaska”, de John Green, é, até ao momento, um dos melhores livros do ano editados em Portugal.
___________________
John Green
À procura de Alaska
Asa, 15,21€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.