Nome de código: Mel


Ian McEwan, autor de “Mel”, é já um reconhecido e versátil escritor britânico.
Publicou dois livros de contos – “Primeiro Amor, Últimos Ritos” (que ganhou o Somerset Maugham Award em 1976) e “Entre os Lençóis” – e dez romances: “O Jardim de Cimento” (adaptado ao cinema em 1993), “A Criança no Tempo” (vencedor do Whitbread Award em 1987), “O Inocente” (adaptado ao cinema em 1993), “Estranha Sedução” (adaptado ao cinema em 1990), “Cães Pretos”, “O Sonhador”, “O Fardo do Amor” (adaptado ao cinema em 2004), “Amesterdão” (vencedor do Booker Prize em 1998), “Expiação” (vencedor dos prémios US National Book Critics Circle 2002 e WH Smith 2002 para o melhor livro de ficção, adaptado ao cinema em 2007) e “Sábado”, todos publicados em Portugal pela Gradiva.
Escreveu também vários argumentos para cinema, entre os quais “The Imitation Game”, “The Ploughman’s Lunch”, “Sour Sweet” e “The Good Son”.
No seu novo romance, “Mel”, Ian McEwan leva-nos até ao mundo da espionagem dos anos 70 em Inglaterra através de Serena Frome, a protagonista.
Filha de um bispo anglicano, matemática falhada em Cambridge, é aliciada para o MI5 pelo seu professor e amante. Dentro MI5 a primeira missão confiada a Serena é dirigir uma fundação de apoio a jovens escritores (que é secretamente sustentada pelo MI5) com a intenção de manipular uma esquerda mais ligada ao Bloco Soviético. É assim que conhece Tom Haley, um jovem escritor promissor, cuja escrita imediatamente apaixona a agente. Serena, que tem como missão investigar os textos e os contactos de Tom, rapidamente se apaixona pelo escritor e é aqui que se centra o romance.
O grande desafio é manter a sua profissão secreta oculta do homem que ama e o seu amor escondido da agência para quem trabalha – e assim começa um jogo de prova de fogo da confiança mútua e de expressões confusas de amor.
Ian McEwan escreve de uma forma calma e segura, com uma prosa cheia de voltas e reviravoltas, o que a torna aliciante e deixa o leitor agarrado e com a sensação de estar a viver a confusão e a adrenalina de Serena.
"Mel" vem comprovar que Ian McEwan é um mestre dos romances, sendo esta sua obra mais recente um dos melhores livros de ficção de 2012.
__________________
Ian McEwan
Mel
Gradiva, 15€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.