Luís Maffei | Signos de Camões


1- O que representa, no contexto da sua obra, o livro Signos de Camões?
R-Representa criar sentidos a partir da obra camoniana e perseguir novos entendimentos do que Camões escreveu – certa vez eu disse, numa entrevista, que escrevia, entre outros fitos, para entender melhor a poesia camoniana. Fantasiar Camões nos diversos signos zodiacais possibilita uma viagem por signos que vão além dos astros, mas que passeiam entre eles com a maior atenção. Isso permite que eu, como poeta, invista numa dicção tão própria quanto possível, cônscio, no entanto, de que não há idiomas assim tão pessoais.
Sempre gostei de brincar com a forma fixa, e neste livro faço-o de modo mais intenso, sem deixar o verso livre, ou melhor, plurimétrico. Signos de Camões é meu quinto livro de poemas; não sei se representa necessariamente uma viragem, mas é conjunto que, quero crer, revela com alguma eficácia o que quero experimentar em poesia.

2- Qual a ideia que esteve na origem deste livro?
R-Explico-a no prefácio, num fragmento que me dou a liberdade de citar: “No intervalo de um encontro acadêmico, Sérgio Nazar David e eu conversávamos sobre têmperas, gestos e signos. Chegamos, não me lembro bem por que motivo, a Camões, cujo signo, já que se desconhece a data de seu nascimento, é ignorado, mas cujos signos são lidos, bem e mal, há tempos. Sérgio, então, teve uma ideia: convidar doze poetas brasileiros e portugueses para, cada um, compor um poema que partisse da premissa de Camões ser de um determinado signo zodiacal. Ato contínuo, meu amigo me presenteou com a ideia, dizendo que eu a levasse a cabo se quisesse”. Em resumo, não consegui reunir doze poetas, nem editora que quisesse me apoiar no projeto. Quando Carlos Alberto Machado me convidou a editar pela Companhia das Ilhas um livro de, no máximo, 48 páginas, pensei logo em levar, sozinho, a ideia a cabo.

3- Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R-No momento, escrevo um livro de ensaios, dedicado a como a poesia portuguesa moderna e contemporânea lida com a temática do dinheiro e do valor. Ainda este ano, imagino que sairá outro livro de ensaios, intitulado Despejo quieto, pela Editora da UFF, minha universidade, dedicado também à poesia portuguesa. Escrevo concomitantemente um livro de contos, que imagino editar em 2014, quando editarei também meu próximo livro de poemas, já em fase de concepção.
__________
Luís Maffei
Signos de Camões
Companhia das Ilhas, 6,45€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.