Manuel Jorge Marmelo | Crónicas do Autocarro


1. O que representa, no contexto da sua obra, o livro “Crónicas do Autocarro”?
R- As "Crónicas do autocarro" mantêm poucas relações com os meus outros livros, mesmo com o único livro de crónicas que tinha publicado antes (Paixões & Embirrações, de 2002). Pode até dizer-se que é quase um corpo estranho, mesmo pelo formato electrónico em que surge, e sem qualquer edição em papel.

2. Qual ideia que esteve na origem deste livro?
R-As crónicas surgiram por acaso e quase por brincadeira, quando há três anos e meio a empresa em que trabalhava se mudou para a Baixa do Porto, onde é caro e difícil estacionar. Optei por me deslocar de autocarro e, desse modo, fiquei em contacto com o mundo muito particular dos autocarros do Porto, as histórias e as personagens que os utilizam. Logo desde a primeira viagem, e sem ser nada planeado, comecei a escrever pequenos apontamentos de viagem no blogue Teatro Anatómico, sem nenhuma pretensão, como um divertimento. Mas, a dada altura, percebi que esses pequenos textos tinham um núcleo duro de seguidores, entre os quais, para minha surpresa, estava até o Manuel António Pina (que tanta falta nos faz). Mantive, por isso, essas croniquetas até Outubro do ano passado, altura em que fui despedido e deixei de ter de me deslocar para trabalhar. A edição acabou por ser uma forma de fechar esse ciclo, embora ainda esteja a ser ponderada uma edição em papel.

3. Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R- Estou a escrever um novo romance, ou, ao menos, aquilo que pode vir a sê-lo. Mas está ainda numa fase muito embrionária. Entretanto sai este mês, pela Quatzal, a décima edição do célebre As Mulheres Deviam Vir Com Livro de Instruções.
__________
Manuel Jorge Marmelo
Crónicas do Autocarro
Edição do Autor, 5€ (encomende AQUI o e-book)

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.