Samuel Mateus | Tele-Realidade-O Princípio de Publicidade Mediatizado


1- De que trata este seu livro "Tele-Realidade-O Princípio de Publicidade Mediatizado"?
R-O livro procura pensar a relação entre Televisão e Sociedade a partir de um dos géneros de maior sucesso: o reality-show.
Longe de considerarmos este tipo de programação televisiva como mera degradação ou parente pobre da grelha de programação, procurámos contemplar a diversidade (temática e programática) com que se nos apresenta. Por esse motivo, preferimos sublinhar a amplitude do género televisivo e falar em “programas televisivos de realidade” para assinalar a diferença entre o puro conteúdo televisivo (o reality-show pensado quase exclusivamente enquanto game-doc: Big Brother ou Casa dos Segredos) e a dimensão colectiva e pública da televisão (a tele-realidade).
Por tele-realidade entendemos a função publicitária que a televisão desempenha através da construção televisiva, semiótica e narrativa da sua grelha programática. Ela baseia-se numa função social fática operada pela reprodução simbólica da sociabilidade. O que está em causa, no fundo, é a mediatização televisiva da publicidade (entendida como qualidade pública) e o modo como a televisão contribui  para dinamizar os processos simbólicos que perpassam nas nossas sociedades.
Cada capítulo, à sua maneira, caracteriza as diferentes facetas da tele-realidade desde o problema da sua ficcionalização, passando pela sua feição proto-política, até às questões da integração social e da individualização.
O livro poderá interessar não apenas àqueles que se dedicam aos Estudos Televisivos mas também à Teoria da Comunicação, Sociologia da Comunicação, Comunicação Política, Cultura Visual ou Estudos do Documentário.

2- De forma resumida, qual a principal ideia que espera conseguir transmitir aos seus leitores?
R-  Face a desenvolvimentos da própria estrutura enunciativa do medium é  necessário observar  e estudar a própria função publicitária da televisão. A tele-realidade trata, no fundo, de uma mediatização do processo publicitário, cumprida por tele-visualização da experiência social. Ela traduz uma atitude pública relativamente ao papel social da televisão, em particular, na maneira como os temas e os indivíduos são colectivamente representados e interpelados.
A configuração contemporânea da televisão de realidade é o objecto central de análise deste livro.
Contudo, não se trata de uma reflexão em torno de uma descrição dos seus atributos mas um ensaio que visa investigar a televisão de realidade a partir da sua faceta publicitária. A tele-realidade designa, como se afirma no primeiro capítulo, o papel social e público que a televisão (e a sua grelha de programas) pode potencialmente desempenhar.
A importância da tele-realidade e dos seus programas - que por vezes roçam o limite do bom-senso e do bom-gosto - reside no facto de eles serem imagens em bruto que nos permitem ver as nossas próprias sociedades (e a nós mesmos) assumindo-se, por esse motivo, como extremamente relevantes pela discussão, análise e conversação que suscitam. Como se ela permitisse uma contracção do plano simbólico cuja abertura de brechas na superfície possui a vantagem de nos conceder o privilégio de olharmos de frente para o âmago dos processos sociais.

3-Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento no âmbito do seu processo de investigação?
R- Há algum tempo que estudo a ideia de uma “processo publicitário”, estando de momento a escrever sobre as particularidades do Serviço Público de Televisão do ponto de vista da sua relação com o indivíduo comum.
__________
Samuel Mateus
Tele-Realidade-O Princípio de Publicidade Mediatizado
Livros LabCom
Disponível gratuitamente para leitura em: LabCom (Formato: PDF e EPub)

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.