Jorge Almeida e Pinho | A Tradução para Edição

De que trata este seu livro “A Tradução para Edição"?
R- A viagem que se faz ao longo das páginas desta obra parte do objeto “Livro” e da área de conhecimento dedicada aos Estudos do Livro. De seguida, percorre-se o território dos Estudos de Tradução, com a apresentação de perspetivas diversificadas sobre estudos internacionais fulcrais para esta área e que incidem sobre a prática da tradução, em diferentes culturas e contextos. Partindo de um ângulo sociológico e literário, e sustentado em factos recolhidos e na análise de diversas obras, procura-se fazer uma descrição fundamentada do atual estado da Tradução para Edição em Portugal, ou seja, procura descrever-se o panorama dos Estudos de Tradução na sua Interseção com os Estudos do Livro. Por fim, e à chegada, aprecia-se a intervenção dos tradutores junto das casas editoras e as suas condições de formação e de reconhecimento público. 

2- De forma resumida, qual a principal ideia que espera conseguir transmitir aos seus leitores?
R- Esta obra pretende ser, acima de tudo, uma jornada única de conhecimento sobre a interdependência e interligação da tradução com múltiplos sistemas socioculturais. Uma expedição em que o Tradutor continua a ser muitas vezes um explorador invisível, ou desconhecido, quando assim não deveria ser. Por tudo isso, e por causa da falta do devido reconhecimento, e que está normalmente associada ao exercício desta atividade, procura-se salientar a importância do trabalho do tradutor e a sua iniludível ligação ao mundo editorial. Mas também se procura suscitar uma maior valorização do trabalho dos tradutores pelas casas editoras, que não raras vezes se mostram relutantes em reconhecer isso mesmo. E essa ideia pretende ir ainda mais longe quando se procura sugerir aos editores que usem de forma proveitosa os conhecimentos e competências dos tradutores portugueses.

3-Pensando no futuro: depois desta obra, que caminhos poderá seguir a sua pesquisa?
R- A pesquisa a que dei continuidade nesta obra – depois de O Escritor Invisível, em 2006 – continuará muito seguramente a assentar na promoção do papel do tradutor e da sua visibilidade e reconhecimento social. Mas não deverá deixar de seguir as pisadas dos estudos sociológicos e sobre a vertente profissional em que se enquadraram as obras anteriores. Caso seja possível, e o tempo disponível assim o permita, espero ainda poder dedicar algum trabalho de investigação à vertente da tradução de literatura, como consequência de alguns trabalhos de tradução em curso e que virão a ser publicados.
_________
Jorge Almeida e Pinho
A Tradução para Edição-Viagem ao Mundo de Tradutores e Editores em Portugal (1974-2009)
Universidade do Porto Editorial, 17,50€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.