José Duarte Moleiro Martins | À Descoberta do Novo


1- De que trata este seu livro «À Descoberta do Novo-Empreendedorismo e Intra-Empreendorismo»?
R-  O livro trata (i) das variantes contextuais de empreendedorismo, (ii) da cultura organizacional de inovação, (iii) do intra-empreendedorismo, (iv) do empreendedorismo, (v) do processo empreendedor associado à criação de um produto ou de um negócio novo, (vi) da incubação de negócios novos, e (vii) do plano de negócios.

2- Empreendedorismo devia ser ensinado nas escolas para que fosse mais fácil e mais rapidamente absorvido e adoptado pelos mais jovens à entrada nas suas vidas profissionais?
R- O empreendedorismo devia ser ensinado e aplicado ao longo dos ciclos de ensino como um recurso individual e das empresas para que se criem mais oportunidades de emprego, de satisfação pessoal no trabalho realizado e na criação de riqueza para a sociedade. O empreendedorismo devia ser afirmado como um desígnio nacional de competitividade e de criação de oportunidades, de modo a atenuar a diferença crescente estre as classes abastadas e as remediadas, e retirar as pessoas de uma condição de pobreza que se tem arrastado ao longo dos anos.

3- Empreendedorismo é um conceito muito conhecido. Mas, de que falamos quando falamos de intra-empreendedorismo?
R-  O empreendedorismo é um conceito conhecido de nome, mas não de prática sistemática na sociedade portuguesa. Os portugueses e os alunos ainda são pouco proactivos. Subsiste ainda muito a mentalidade de «ser empregado por conta de outrem». O intra-empreendedorismo é o mesmo fenómeno que o empreendedorismo mas verificado no interior de uma empresa (ou organização) já existente no mercado, e que necessita do fomento de uma cultura de inovação e de empreendedorismo para que possa florescer e se desenvolver como uma prática organizacional instituída.
__________
José Duarte Moleiro Martins
À Descoberta do Novo-Empreendedorismo e Intra-Empreendorismo
Edições Sílabo, 12€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.