Jorge Rio Cardoso | Do Secundário à Universidade com Sucesso, Bora Lá?

1-Como surgiu a ideia de escrever o livro «Do Secundário à Universidade com Sucesso, Bora lá?»?
R- A ideia surgiu da constatação de que os alunos não mudam os métodos de estudo na transição do ensino básico para o secundário. Alguns, embora menos, continuam com os mesmos métodos na universidade. Este manter de métodos condiciona o sucesso. Por outro lado, entendi que os alunos centram-se demasiado na nota e na forma de lá chegar e não tanto em outras competências fundamentais ao sucesso. Não há ninguém que consiga sucesso se não prosseguir um modelo de ética assente em valores: honestidade, respeito pelos outros ou solidariedade, por exemplo. As competências relacionais são cada vez mais importantes e é necessário os jovens perceberem isso.

Nos dias de hoje, saber trabalhar em equipa, criar empatia com quem trabalhamos, saber reunir consensos, estar focado na solução é de capital importância. No livro tento, de uma forma, prática explicar com se consegue ganhar todas estas competências.

2-O livro está escrito e dirigido directamente aos estudantes: mas, pais e professores, não o deveriam ler também?
R- Sim, não faria mal se o lessem. Na realidade quando um jovem pretende atingir as competências faladas e trabalhadas no livro convirá que haja uma sintonia de posições com os pais e professores.

3-O insucesso escolar no ensino superior está mais dependente das competências de base dos estudantes do que da forma como são estruturados os cursos e dadas as aulas?
R- Em minha opinião: sim. Os alunos que menos competências trazem do ensino secundário são aqueles que mais facilmente têm insucesso. Para um aluno resiliente mesmo que os cursos não estejam bem estruturados e as aulas não sejam motivantes, mesmo assim encontrará forma de obviar esse problema.
__________

Jorge Rio Cardoso
Do Secundário à Universidade com Sucesso, Bora lá?
Guerra & Paz  14,99€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.