Sandro William Junqueira | Quando as Girafas Baixam o Pescoço

1-O que representa, no contexto da sua obra, o livro «Quando as Girafas Baixam o Pescoço»?
R- Aqui não há heróis nem vidas extraordinárias. É um livro de gente banal que habita um edifício de paredes finas e vive à beira do abismo. São vidas que por circunstâncias diferentes encontram-se suspensas, num intervalo, numa pausa que contraria a voragem e a velocidade do mundo moderno; quase como se tivessem descoberto um erro no sistema: e que por isso foram obrigadas a parar, a ficar em suspensão, presas num intervalo; e com tempo para mergulhar no lado avesso, nas profundezas do ser, sofrem as investidas dos fantasmas, das perguntas, do enigma e da permanente insatisfação. Apesar de apresentar elementos de estranheza e temáticas já exploradas nos romances anteriores, este livro apresenta-se menos distópico. Mais urbano e próximo de uma realidade facilmente identificável.

2-Qua a ideia que esteve na origem deste livro?
R- Não terá sido apenas e só uma ideia, mas um acumular de experiências e observações. Sempre vivi em cidades e habitei uma boa dezena de apartamentos diferentes. Por isso aprendi a viver com gente por cima, em baixo, dos lados, sem que existisse qualquer género de comunicação ou proximidade. E isto é um problema do mundo moderno: apesar de sermos cada vez mais em termos de número e vivermos cada vez mais próximos uns dos outros em termos de centímetros vivemos cada vez mais isolados. Numa solidão que faz muito barulho. Numa solidão que grita.

3-Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R- Tenho terminado um novo livro infantojuvenil que julgo será publicado no primeiro semestre de 2018 e estou a trabalhar num novo romance.
__________
Sandro William Junqueira
Quando as Girafas Baixam o Pescoço
Editorial Caminho   14,90€

Siga a "Novos Livros" por Email

A BIBLIOTECA

A BIBLIOTECA
(C) Vieira da Silva

Diga não ao cruel comércio da morte.