Diga não ao cruel comércio da morte.

António Eça de Queiroz | Porto vs Lisboa

1-Quando leu os textos sobre Lisboa, o que mais o surpreendeu?
R- O texto que mais me espantou realmente - porque de facto pouco ou nada sabia sobre o personagem - foi a respeito do absolutamente desnaturado Diogo Alves (e que o António Costa Santos bem cuidou de dizer que não era português, mas sim um espanhol de Lugo - a grande besta!).

2-Dez anos depois da primeira edição, teve razões e vontade de modificar o seu texto?
R- Não, apenas pequenos acrescentos - que foram feitos (só tenho pena de não ter tido a recordação de há dez anos que me apontou então um erro de "paralaxe histórica" relativamente imperdoável: no texto final da 1ª edição deste livro, "Lisboa para sempre no coração", atribuo erradamente as culpas duma certa "intervenção" centralista no Porto ao rei D. Manuel - quando de facto tal dislate foi da responsabilidade única de D. João III e seus conselheiros próximos).

3-Depois deste «combate» em forma de livro, o que recomendaria a um «tripeiro» para não perder numa próxima ida a Lisboa?
R- Lisboa tem montanhas de coisas interessantes, e não foi necessário o "combate" para eu o reconhecer... Como gosto muito de museus e jardins, aconselharia a Gulbenkian (toda), o Museu de Arte Antiga e o do Oriente, bem como o velho Jardim Botânico (embora não saiba agora em que estado é que se encontra).
__________
António Eça de Queiroz/António Costa Santos
Porto vs Lisboa
Guerra e Paz  15,90€