Diga não ao cruel comércio da morte.

Vera Duarte | A Reinvenção do Mar

1-O que representa, no contexto da sua obra, "A Reinvenção do Mar"?
R-Sem dúvida representa um importante marco na minha escrita pois trata-se da minha décima obra, com a qual comemoro os 25 anos de publicação. Em 1993 estando em Lisboa e tendo reunido um número interessante de poemas, muito bem acolhidos pela crítica, decidi preparar um livro e enviei para uma editora portuguesa que não me conhecia. O livro foi imediatamente aceite para publicação. No conselho editorial estava a professora Ana Mafalda Leite com que vim a tornar-me grande amiga. Desde então publiquei de vez em quando por diletantismo e não me achava a altura de ser considerada escritora. Com a publicação deste décimo livro, e após ter ganho alguns prémios literários, já consigo considerar-me poeta e escritora. É aliás de justiça dizer que após ter-me aposentada da minha carreira profissional na magistratura judicial (sou desembargadora) a escrita acolheu-me de forma generosa. Como sempre trabalhei não saberia viver na inatividade. Este livro vem assim assinalar esta minha verdadeira segunda vida.

2- Qual a ideia que esteve na origem deste livro?
R- Há algum tempo a Professora Doutora Ana Mafalda Leite propôs-me fazer uma antologia da minha poesia… Depois em conversa com os editores da Rosa de Porcelana, Filinto Elísio e Márcia Souto, entendemos que era chegada a altura de publicar uma antologia. A ideia de comemorar os 25 anos de publicação com um décimo livro surgiu a meio do processo de edição mas acabou por ser determinante. Tenho tido a sorte de ter uma boa e ampla fortuna crítica, sobretudo da parte dos leitores e estudiosos brasileiros e têm assinalado muito a minha ligação ao mar, o que é uma evidência na minha escrita. Assim decidi que o título ficaria ligado ao mar. E dado que o mar de Cabo Verde, para além de que tem sido sempre um meio de ligação ao mundo, um meio de subsistência da população e um meio de inspiração de poetas e escritores, vem-se revelando agora como um depositário de outras riquezas e um veículo de outros diálogos. Daí o título da reinvenção do mar.

3- Pensando no futuro o que está a escrever neste momento?
R- Apesar da poesia ter sido sempre a minha área de eleição na escrita, cada vez mais venho sentindo a vontade de escrever romances. Assim, após a publicação de A Matriarca, uma Estória de Mestiçagens no ano passado (2017) estou neste momento, entusiasmada, a escrever um novo romance. E sinto que é este o caminho que eventualmente vou trilhar nos próximos tempos pois há outros temas e enredos que vêm bailando na minha mente, pedindo-me a escrita.
__________
Vera Duarte
A Reinvenção do Mar-Antologia Poética
Rosa de Porcelana  15€