Diga não ao cruel comércio da morte.

Inês Lourenço | Últimas Regras

1-O que representa, no contexto da sua obra, o livro «Últimas Regras»?
R- É uma segunda incursão no campo da micro-narrativa, que tinha iniciado em 2012, com o livro "Ephemeras", precisamente na mesma editora e que se encontra actualmente esgotado. A técnica da micro-narrativa, conforme a entendo, não difere muito da minha escrita de poesia, pois cultiva, na mesma, a elipse e uma espécie de surpresa final ou "turning point".

2-Qual a ideia que esteve na origem deste livro?
R- Na origem de mais este livro está toda a mundividência e suas temáticas da minha escrita: a infância, a precaridade do ser, o desfazer de clichés culturais,a ironia, apogeus e declínios, etc.

3-Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R- Tenho projectos para novos livros de poemas, já iniciados. Uma antologia de textos escolhidos por um poeta brasileiro está próxima a entrar em provas para distribuição no Brasil.
__________
Inês Lourenço
Últimas Regras
Companhia das Ilhas  12

Inês Lourenço na “Novos Livros” | Entrevistas