Luís M. Aires | A Relatividade Explicada

1-Qual a ideia que esteve na origem deste livro «A Relatividade Explicada a quem Pensava que Nunca a Perceberia”?
R- Há uns anos assisti com a minha filha a um episódio da série televisiva Cosmos (apresentada por Neil deGrasse Tyson) em que a relatividade era abordada. Ela levantou naturalmente algumas questões pertinentes, às quais tentei responder com segurança mas sem sucesso. É um conceito cujas premissas – como a da velocidade da luz ser igual para qualquer pessoa, parada ou em movimento – chocam fortemente com o senso comum desenvolvido pela experiência quotidiana. Decidi então, por todos os jovens curiosos (e pais em “maus lençóis”), esclarecer o significado e importância da relatividade na nossa compreensão do mundo.

2-Como conseguiu explicar uma ideia tão complexa em menos de 100 páginas?
R- Gostaria de poder dizer que sou um génio, mas não é o caso. Certas condições favoráveis combinaram-se na minha pessoa para conseguir explicar a relatividade tão sucintamente. Primeiro, escolhi as fontes certas, o que não foi difícil já que existem diversos artigos e livros muito bem escritos sobre o assunto. Selecionar bem as fontes e, depois, assimilar e sintetizá-las não foi difícil também porque envolve competências que são inevitavelmente aprimoradas por alguém que investiga, ensina e escreve livros há mais de duas décadas. Por último, a circunstância feliz: a relatividade, a sua essência conceptual, não é tão complexa como se pensa! A minha expectativa é a de os leitores, ao virar a última página do livro, partilharem esta opinião.

3-De que formas a teoria da relatividade tem reflexos na nossa vida e na nossa percepção da realidade?
R- Bem, no dia-a-dia a relatividade não afeta a nossa percepção da realidade pois os seus efeitos apenas se tornam notórios com objetos muito pesados e/ou que se movem muitíssimo depressa; a teoria explica certos acontecimentos por exemplo nos aceleradores de partículas subatómicas (que se deslocam quase à velocidade da luz) e no domínio cósmico (onde corpos maciços, como as estrelas, deformam o espaço-tempo). No entanto, como revelo no livro, a teoria da relatividade acaba por ter implicações práticas que se refletem na nossa vida; se usarmos o GPS numa viagem de carro ou a nossa casa for alimentada pela eletricidade gerada numa central nuclear, estamos a colher os frutos da fantástica ideia amadurecida na mente de Einstein.
__________
Luís M. Aires
A Relatividade Explicada a quem Pensava que Nunca a Perceberia
Edições Sílabo  9,60€

COMPRAR O LIVRO